Assista: Protesto por morte de criança, fecha dois sentidos da AL-101 Sul na Massagueira

 Assista: Protesto por morte de criança, fecha dois sentidos da AL-101 Sul na Massagueira

Willamis Tavares/TV Pajuçara

Por: TNH1

Familiares e amigos da mulher e das crianças atropeladas por um carro, no domingo do Dia das Mães, em Massagueira, fecharam os dois sentidos da AL-101 Sul na manhã desta sexta-feira, 13, nas proximidades da entrada para o povoado de Marechal Deodoro. Eles protestam pela morte do pequeno João Bernardo Borges da Silva, de seis anos, e reivindicam a construção de uma passarela na localidade para evitar novos acidentes. O trânsito está lento na região.

No último domingo, 8, a mãe Dayane Vital da Silva, e os filhos, João Bernardo, de seis anos, e J. M. S. B., de dois anos, foram atingidos pelo carro de um turista de Minas Gerais que saía de Massagueira, com destino a Maceió. Com o impacto da batida, os três foram arremessados por metros. O filho mais velho de Dayane não resistiu.

O grupo formado por dezenas de pessoas ateou fogo em pneus, colchões e móveis de madeira colocados no asfalto para bloquear o trânsito e chamar a atenção das autoridades para que o atropelamento seja investigado e que o autor seja punido de forma rígida.

Em entrevista ao TNH1, Joatan Borges, pai de Dayane, fez um desabafo e descreveu como ocorreu o acidente. “Estamos reivindicando justiça, pois o motorista tá solto desde que tudo aconteceu. Eu vi todo o acidente. Fui deixar ela no ponto de ônibus, pois ela estava indo para a casa da mãe. Ela sempre esperava para atravessar a pista e, dessa vez, não foi diferente. Eu vi quando o motorista atropelou a minha filha e os meus netos. Ele estava em alta velocidade. É só olhar a distância em que eles foram arremessados. Por isso, só queremos justiça. O que aconteceu foi um crime!”, disse.

Ainda segundo Joatan, os moradores do povoado de Massagueira pedem uma passarela no local. “ É muito perigoso essa travessia, mas é a única que temos. Precisamos urgentemente de uma passarela aqui. Eles colocaram um ponto de ônibus lá do outro lado da pista e você é obrigado a atravessar a rodovia. A minha filha era totalmente atenta ao local, sempre esperava para atravessar. E mesmo assim ela foi atropelada”, relatou.

Mais Notícias