Bolsonaro acusa Barroso de interferência política e ele responde. Veja

 Bolsonaro acusa Barroso de interferência política e ele responde. Veja

Fábio Vieira/Metrópoles

Ministro Barroso, sem citar nomes, afirmou ter sido convidado nas três vezes em que esteve no Congresso Nacional

Metrópoles

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luis Roberto Barroso respondeu, sem citar nomes, observações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) na manhã desta terça-feira (2/7). Bolsonaro disse que Barroso interferiu politicamente no Congresso para rejeição da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Voto Impresso.

Na publicação em uma rede social, Barroso enfatizou que foi à Casa em três ocasiões e, em todas elas, por meio de convites oficiais.

Mais cedo, durante entrevista à Rádio Guaíba, de Porto Alegre, Bolsonaro disse: “Ninguém quer dar golpe. Ninguém quer: ‘Ah, não vai ter eleição’. Nós queremos é transparência”, argumentou.

“No ano passado o Congresso ia aprovar o voto impresso numa PEC. O que o Barroso fez? Ele era presidente do TSE. Foi dentro do Parlamento, nem tentou fazer escondido, foi para dentro do Parlamento, reuniu-se com uma dezena de líderes e no dia seguinte vários líderes trocaram os integrantes da comissão de modo que eles votaram contra a PEC do voto impresso”, pontuou o chefe do Executivo.

O mandatário ainda disparou, chamando o magistrado de mentiroso: “Tu é um mentiroso, um mentiroso. É interferência direta. É uma interferência política, isso é um crime previsto na Constituição. O Barroso é um criminoso”, disparou o chefe do Executivo federal.

Mais Notícias