Compadre Washington rebate publicação sobre prisão por não pagar pensão ao filho

 Compadre Washington rebate publicação sobre prisão por não pagar pensão ao filho

Redação TNH1

O cantor Compadre Washington, do É o Tchan, rebateu neste sábado, 4, a publicação feita pela coluna do Léo Dias, do Metrópoles, de que poderia ser preso a qualquer momento após adquirir uma dívida de seis dígitos por supostamente não pagar pensão alimentícia a um dos seus filhos.

Segundo publicação do colunista, o pedido de prisão teria sido decretado pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo no dia 23/5 e teria 30 dias para ser cumprido. “O músico não cumpre com os seus deveres alimentícios com o filho Luiz Filipe, de 20 anos de idade que cursa o ensino superior em uma universidade, há dois anos e com isso acumulou uma dívida de aproximadamente R$ 130 mil. Essa não é a primeira vez que Compadre Washington atrasa o pagamento da pensão de Luiz”, diz trecho do texto publicado na coluna.

Em seu perfil no Instagram, Compadre Washington emitiu uma nota de esclarecimento e rebateu o post. Leia na íntegra:

“O cantor Compadre Washington recebeu, inesperadamente, a notícia divulgada pela coluna de Leo Dias (disponível em https://www.metropoles.com/colunas/leo-dias/compadre-washington-tem-prisao-decretada-por-nao-pagar-pensao-ao-filho) de que ele “pode ser preso a qualquer momento após adquirir uma dívida de seis dígitos por não pagar pensão alimentícia a um dos seus dez filhos”, Luiz Filipe, que completa 21 anos de idade este ano.

Conforme informado pelo advogado do cantor, Dr Diego Pitombo ao Sr André Suzano Júnior, representante do colunista Léo Dias, a informação de que o cantor pode ser preso a qualquer momento não é verdadeira, pois não existe mandado de prisão expedido. Na ocasião foi informado ainda que o processo tramita sob segredo de justiça, razão pela qual não é permitido o vazamento de informações. Embora tenham sido prestadas essas informações ao colunista, tanto pelo advogado quanto pela assessoria de imprensa do cantor, tais informações foram omitidas na reportagem.

Deixamos claro que os únicos que têm acesso a esse processo são os advogados habilitados e as próprias partes, e será requerida uma apuração sobre quem violou a proteção do segredo de justiça.

Como sempre fazemos, nos colocamos à disposição para demais informações e solicitamos aos veículos que replicaram essa notícia que façam a devida e necessária retratação”

Mais Notícias