spot_img

Ditadura de Ortega confisca casas de opositores na Nicarágua


Como você se sentiu com o conteúdo dessa matéria?

Ortega iniciou uma perseguição em série contra a Igreja Católica e políticos opositores de sua ditadura
Ortega iniciou uma perseguição em série contra a Igreja Católica e políticos opositores de sua ditadura| Foto: EFE/Jorge Torres

A ditadura da Nicarágua, liderada por Daniel Ortega, retornou com uma prática política muito usada durante a década de 1980 no país: a de confiscar bens de opositores e dissidentes do exílio.

Segundo reportagem do jornal americano The New York Times, funcionários do governo começaram uma série de arrombamentos a residências em Manágua, “transferindo” a posse dos imóveis ao Estado.

Isso se deu após críticos da ditadura sandinista serem perseguidos por Ortega e seus apoiadores, que tiraram a nacionalidade nicaraguense de diversos ativistas e opositores políticos declarados “traidores”, com casos de políticos e padres que precisaram deixar o país ou foram presos.

Com isso, esses cidadãos perderam o direito à propriedade e à cidadania. Ao todo, mais de 300 pessoas foram acusadas de traição e perderam seus bens no país.

Na semana passada, a ditadura sandinista confiscou uma escola particular fundada pela Universidade Harvard há 60 anos. A Igreja Católica também está na mira de Ortega, que deu ordens de prisão a religiosos e também confiscou igrejas sediadas na Nicarágua.

O governo já afirmou em diversos momentos que considera todos os que são contrários à ditadura terroristas.

O próprio ditador Ortega reside em um imóvel com seis dormitórios em Manágua, de quase um quarteirão, confiscado de um adversário político. Um dos casos mais recentes de confisco foi de dois ex-ministros das Relações Exteriores, que tiveram suas casas invadidas pelo Estado.



Fonte: Gazeta do Povo

Últimas

Leia também

spot_imgspot_img

Sandy diz que não se acha bonita sem maquiagem: ‘Me sinto desconfortável’

Sandy foi uma das convidadas do primeiro episódio de 50 & Tanto,...

Argentina presa por racismo no Maracanã é solta, mas não pode deixar Brasil

A torcedora argentina Maria Belen Mateucci -presa preventivamente por injúria racial...

Homem é condenado na Escócia por dirigir com para-brisas congelado

Um homem foi multado em £ 500 (cerca de R$ 3...