spot_imgspot_img

Governo federal anuncia R$ 3 bilhões até 2026 para Plano Nacional de Educação Especial – Notícias



O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) anunciou, nesta terça-feira (21), investimentos de R$ 3 bilhões, até 2026, no plano de fortalecimento da Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. A política, que completou 15 anos em janeiro, é coordenada pelo Ministério da Educação. A cerimônia de relançamento contou com a presença de Lula, ministros e parlamentares. Durante o evento, o cerimonial pediu aos participantes que aplaudissem na língua brasileira de sinais (Libras).



O valor vai contemplar investimentos em formação, infraestrutura, transporte, recursos de tecnologia assistiva e instrumentos pedagógicos, com foco em quatro eixos — expansão do acesso, qualidade e permanência, produção de conhecimento e formação. A intenção do ministério é implementar as ações e parceria com os estados, municípios e o Distrito Federal.


A expectativa do governo federal é terminar 2026 com mais de 2 milhões de matrículas de alunos da educação especial em classes comuns, além de alcançar 169 mil inscritos na educação infantil e ampliar os recursos para as salas de recursos multifuncionais (SRM).


Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp

• Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp

• Compartilhe esta notícia pelo Telegram

Assine a newsletter R7 em Ponto


No discurso, Lula se emocionou ao falar que “o papel do governo é cuidar das pessoas” e criticou o governo anterior. “É como uma guerra. Vocês estão vendo aquele bombardeio lá em Gaza. Além da quantidade de pessoas que morreram, de crianças, mulheres e inocentes, a gente vê um acumulado de tijolos no chão. Aquilo levou décadas e séculos para ser construído e você destrói em um minuto. A gente vai reconstruir e transformar esse país em um país mais humano, em que ninguém tenha vergonha dos seus nem esconda os seus”, declarou o presidente.





Segundo o Executivo federal, apenas 36% dos colégios com esse tipo de sala receberam investimentos. A meta do governo é dobrar o alcance para 72% das instituições. Outra ideia é criar 27 observatórios de monitoramento — um em cada unidade federativa — e lançar 6 editais para pesquisadores com deficiência.


Em 2009, como parte da Política Nacional de Educação Especial, o Brasil deu status de emenda constitucional à Convenção sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência da Organização das Nações Unidas (ONU).



Fonte: R7

spot_imgspot_img

Últimas

Leia também

spot_imgspot_img

STF suspende julgamento que pode retirar mandato de sete deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu nesta quarta-feira (21) o julgamento...

Barcelona desperdiça chances e acaba castigado com o empate do Napoli na Liga dos Campeões

O Barcelona tinha tudo para celebrar uma boa vitória em visita...

Seminfra orienta ciclistas sobre uso da ciclovia na Fernandes Lima em dias de chuva

Projetada respeitando todos os parâmetros estabelecidos pelo Conselho Nacional de Trânsito...