Mãe denuncia agentes do Ronda no Bairro por agressão e injúria racial contra filho de 17 anos

 Mãe denuncia agentes do Ronda no Bairro por agressão e injúria racial contra filho de 17 anos

Por: TNH1

Uma mulher denunciou, nesta quinta-feira, 12, uma suposta abordagem truculenta de agentes do Programa Ronda no Bairro, na Rua Barão de Alagoas, no Centro de Maceió. De acordo com a denunciante, a vítima seria o filho dela, um jovem de 17 anos, que teria sofrido agressões físicas e injúria racial. O caso aconteceu na manhã da última quarta-feira, 11.

No relato, a mãe disse que quatro agentes da equipe de segurança teriam pedido ao adolescente para que parasse com a bicicleta em via pública e o teriam chamado de “Neguinho”. Depois de o menor atendê-los, teria sido encostado em um muro e levado socos e choques na barriga.

Antes das supostas agressões, o adolescente teria dito aos agentes que era feirante e que iria fazer uma entrega de bicicleta, inclusive teria mostrado a sacola plástica com milho e coco, o que segundo a mãe, não justifica o ataque ao jovem. O vídeo a seguir mostra a abordagem da equipe do Ronda no Bairro.

A mulher esteve na Delegacia dos Crimes contra Crianças e Adolescentes (DCCCA), em Jatiúca, no mesmo dia do caso, e registrou o Boletim de Ocorrência, na presença do adolescente. Logo depois, eles foram à sede do Instituto Médico Legal (IML) para realizar o exame de corpo de delito. 

O chefe de operações da DCCCA, Alan Barbosa, informou à produção da TV Pajuçara, que a Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev), que coordena o Ronda no Bairro, será oficiada para identificar os envolvidos na abordagem. Eles devem ser indiciados para depor durante a apuração do fato. 

OAB/AL recebeu a denúncia – A Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas (OAB/AL) também já recebeu a denúncia. A mãe do adolescente procurou o órgão na manhã desta quinta-feira e fez um termo, em que declara as violências sofridas pelo filho.

Inicialmente, a OAB/AL vai expedir três ofícios, ao Ministério Público do Estado de Alagoas, à Polícia Civil e à Corregedoria da Polícia Militar, para que sejam tomadas as providências cabíveis. Além disso, a Comissão deve articular com outras entidades de Direitos Humanos para fazer uma frente contra as abordagens truculentas. 

O que diz o Ronda no Bairro – Em nota, a Superintendência do Ronda no Bairro informou que vai abrir sindicância para averiguar a denúncia e que repudia qualquer ato de agressividade dos colaboradores ou qualquer outra pessoa.

Veja abaixo na íntegra:

“A Superintendência do Ronda no Bairro vai abrir uma sindicância para averiguar a denúncia. Vale ressaltar que o Ronda no Bairro é um programa de policiamento de proximidade que atua sobretudo com aspectos pacíficos, humanizados e de acolhimento, não aceitando qualquer tipo de atuação diferente. Aproveitamos para destacar que a superintendência do Ronda repudia qualquer ato de agressividade de seus colaboradores ou qualquer outra pessoa”.

Mais Notícias