MPT decreta sigilo em investigação contra Pedro Guimarães por assédio

 MPT decreta sigilo em investigação contra Pedro Guimarães por assédio

Igo Estrela/Metrópoles

“Publicidade de tais elementos de prova pode acarretar prejuízo à investigação”, escreveu o procurador

Metrópoles

O Ministério Público do Trabalho (MPT) colocou em sigilo a investigação sobre as denúncias de assédios sexual e moral supostamente praticados pelo ex-presidente da Caixa Econômica Federal Pedro Guimarães. A decisão foi tomada nessa quarta-feira (27/7), pelo procurador titular do 14º Ofício, Paulo Neto.

“Com fundamento no Art. 7º, § 5º, da Resolução n. 69, de 12 de dezembro de 2007, do Conselho Superior do Ministério Público do Trabalho, para fins do interesse público, decreto o sigilo das informações e documentos apresentados pelos denunciados, dos depoimentos das testemunhas e de documentos apresentados pela polícia ou pelos órgãos de fiscalização, considerando que a publicidade de tais elementos de prova pode acarretar prejuízo à investigação”, escreveu Paulo Neto, em despacho obtido pelo Metrópoles.

As denúncias de assédios sexual e moral foram reveladas pela coluna de Rodrigo Rangel, do Metrópoles.

Na terça-feira (26/7), o MPT transformou em inquérito civil a investigação preliminar aberta contra Guimarães. No despacho, o procurador considerou, inicialmente, que a denúncia “configura infringência à ordem jurídico-trabalhista e aos direitos coletivos dos trabalhadores”.

Mais Notícias