spot_imgspot_img

Nobel da Paz vai para ativista iraniana Narges Mohammadi


A jornalista Narges Mohammadi, que recebeu já diversos prêmios relacionados aos Direitos Humanos,  cumpre uma pena de 16 anos em Teerã
A jornalista Narges Mohammadi, que recebeu já diversos prêmios relacionados aos Direitos Humanos, cumpre uma pena de 16 anos em Teerã| Foto: EFE/EPA/ABEDIN TAHERKENAREH

A ativista e jornalista iraniana Narges Mohammadi foi a ganhadora do Prêmio Nobel da Paz de 2023 por sua luta pelos direitos das mulheres no Irã, segundo anunciou nesta sexta-feira (6) o Comitê Norueguês da premiação, com sede em Oslo.

O prêmio reconhece Mohammadi, que cumpre uma pena de 16 anos em uma prisão de Teerã, “por sua luta contra a opressão das mulheres no Irã e por promover os direitos humanos e a liberdade para todos”.

O comitê norueguês afirmou que o Nobel também reconhece “as milhares de pessoas que se manifestaram contra o regime de repressão e discriminação que tem como alvo as mulheres no Irã”.

A ativista foi uma das lideranças dos protestos no ano passado no país após a morte de Mahsa Amini, a jovem de 22 anos que morreu após uma detenção pela polícia de Teerã, sob a acusação de não usar véu, chamado no Irã de hijab.

A “luta corajosa” de Mohammadi, disse o comitê, “teve enormes custos pessoais. O regime iraniano a prendeu 13 vezes, a condenou cinco vezes e a sentenciou a um total de 31 anos de prisão e 154 chibatadas”.

A jornalista já havia recebido neste ano o Prêmio Guillermo Cano para a Liberdade de Imprensa da UNESCO e no ano passado foi reconhecida com o Prêmio à Coragem da ONG Repórteres Sem Fronteiras (RSF).

Ela trabalhou durante anos para diversas organizações relacionadas aos Direitos Humanos, também é vice-diretora da ONG Centro para Defensores dos Direitos Humanos em Teerã.

Mesmo em cumprimento de sentença, Mohammadi tem relatado a situação “lamentável” dos prisioneiros no Irã, por meio de dezenas de artigos em seu cárcere.

O Nobel da Paz é o quinto prêmio anunciado até agora, depois da divulgação de Medicina, Física, Química e Literatura. (Com agência EFE)



Fonte: Gazeta do Povo

spot_imgspot_img

Últimas

Leia também

spot_imgspot_img

Padre e companheiro são presos vendendo Viagra e afrodisíacos na Espanha

A Guarda Civil da Espanha prendeu o pároco da Igreja de...

Recalcular decisões de vida é mais difícil para pessoas pobres e negras

"Não foi positivo, mas foi necessário", define o fluminense Flávio Gomes,...

Empresa é condenada após gerente criticar aparência de ex-estagiária

A Justiça do Trabalho condenou uma concessionária de automóveis de Sorocaba...