Sobe número de famílias que se declaram endividadas em PE; percentual chega a 81,5% em agosto

 Sobe número de famílias que se declaram endividadas em PE; percentual chega a 81,5% em agosto

Foto: Natalia Filippin/G1

Dados são da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado (Fecomércio). Números são baseados na comparação com julho deste ano.

O número de famílias que se declaram endividadas em Pernambuco aumentou, na comparação entre julho e agosto deste ano. Segundo dados da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado (Fecomércio), o percentual subiu de 78,7 para 81,5%.

A Pesquisa Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) é realizada mensalmente pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

A meta é traçar um perfil do endividamento, acompanhando o nível de comprometimento dos consumidores com dívidas e sua percepção em relação à sua capacidade de pagamento.

Tabela mostra evolução do endividamento das famílias em Pernambuco — Foto: Fecomércio
Tabela mostra evolução do endividamento das famílias em Pernambuco — Foto: Fecomércio

Ainda segundo a Fecomércio, o tempo médio de duração das dívidas foi de sete meses e meio, em agosto.

Esse índice não sofreu mudança com relação a julho. A parcela média da renda comprometida com as dívidas se manteve em 30%, no mês passado.

Além disso, o percentual de famílias com contas em atraso ficou estagnado em agosto. O índice é de 27,1%. No entanto, alerta a Fecomércio, essa taxa tinha registrado queda por quatro meses consecutivos.

O percentual de famílias que se declaram sem condições de quitar as contas em atraso recuou 0,5 ponto percentual em relação ao mês de julho. Isso significa cinco meses de retração nesse indicador.

Perfil

Tabela mostra os principais causadores das dívidas nas famílias de Pernambuco, segundo Fecomércio — Foto: Fecomércio/Divulgação
Tabela mostra os principais causadores das dívidas nas famílias de Pernambuco, segundo Fecomércio — Foto: Fecomércio/Divulgação

A pesquisa aponta, ainda, que o percentual de famílias que citam o cartão de crédito na composição das dívidas está em elevação.

No mês anterior, o percentual já havia passado de 91% para 94%. Isso representa uma mudança de trajetória de redução, observada de janeiro a junho.

Em agosto, o patamar chegou a aproximadamente 95%. A entidade aponta que “a situação financeira das famílias tende a exigir maior uso do crédito para consumo imediato, visando sustentar a capacidade de consumo no segundo semestre”.

Ainda de acordo com a pesquisa, é possível observar aumento em todos os níveis de percepção, de endividamento. Entre as famílias que se declaram “muito endividadas”, o índice subiu de 16,9% para 18%.

No caso de famílias que se declaram “pouco endividadas” (o aumento foi de 25,9% para 27,4%. Por último, houve incremento de 35,9 para 36,1 entre as famílias “mais ou menos endividadas”.

G1

Mais Notícias